terça-feira, julho 26, 2005

Governo de Hitler e a Economia Alemã

Sob o controle ditatorial, Hitler deu início a grandes mudanças econômicas. Há uma certa controvérsia sobre os aspectos econômicos do governo de Hitler, pois nem todas as suas medidas foram saudáveis a médio e longo prazo. As políticas econômicas do governo de Bruning, cautelosas e fiscalistas, vinham sanando as finanças e organizando o Estado alemão nesse aspecto. Hitler, ao contrário, pôs em prática um largo programa de intervencionismo econômico, baseado no keynesianismo, embora se distanciasse deste em muitos pontos.

O desemprego na Alemanha de 1933 era de aproximadamente 6 milhões. Esse número diminuiu para 300.000 em 1939. Essa diminuição fabulosa, no entanto, ocorreu por diversos motivos, como alterações estatísticas e projetos governamentais:

- As mulheres deixaram de ser contadas como desempregadas a partir de 1933
- Judeus, a partir de 1935, perderam a condição de cidadãos do Reich, não contando mais como desempregados
- Mulheres jovens que se casavam eram excluídas dos cálculos.
- Ao desempregado eram dadas duas opções: ou trabalhar para o governo sob baixíssimos salários ou permanecer segregado da esfera governamental, longe de todas as suas obrigações, mas também vantagens, como saúde, lazer, etc.
- As convocações para o exército começaram a se acelerar. Até 1939, 1,4 milhões de alemães haviam sido convocados. Para armar esse contigente, a produção industrial aumentou e a procura por mão-de-obra aumentou também.
- Criação da Frente Alemã de Trabalho, dirigida por Robert Ley, que pôs em prática programas governamentais de trabalho que absorveram boa parte da mão-de-obra disponível, ora empregando-a no melhoramento da infra-estrutura do país, ora nas indústrias e na produção bélica.

Essa medidas ocorreram a custa de pesadíssimos investimentos por parte do Estado, comprometendo a longo prazo as finanças. O que se viu, em conseqüência disso, foi um déficit crescente. De 1928 até 1939, a arrecadação do Estado havia subido de 10 bilhões de Reichsmarks para 15 bilhões, no entando os gastos, no mesmo período, subiram de 12 bilhões de Reichsmarks para 30 bilhões. Em 1939, o déficit acumulado era de 40 bilhões de Reichsmarks.

A inflação, nesse periodo, cresceu tanto que em 1936 foi decretado o congelamento de preços. O governo alemão foi incapaz de lidar com o controle de preços e sua interferência constante apenas engessou a economia e dificultou o aumento gradual e equilibrado da produção. A partir de 1936, o dirigismo econômico passou, gradualmente, a substituir a adaptação automática da produção pelo mercado, de maneira que a regulamentação econômica passou a ser maior.

Os planos ecomômicos alemães, tanto de Schacht quanto de Göring, era de tornar a Alemanha autosuficiente na indústria para que ela pudesse sobreviver à guerra e aos bloqueios britânicos. Essas metas, no entanto, não foram cumpridas e em 1939 a Alemanha não estava plenamente recuperada. Os dados demonstram como a Alemanha estava quando iniciou a guerra:

* A Alemanha ainda importava 33% de matérias-primas necessárias.
* O déficit acumulado era de 40 bilhões de Reichsmarks.
* A Balança Comercial atestava um déficit de 100 milhões de Reichsmarks
* O desemprego estava virtualmente suprimido
* Consumo anual de alimentos, em 1937, havia diminuído em pão de trigo, carne, bacin, leite, ovos, peixes, açucar, frutas tropicais e cerveja, comparando-se com os dados de 1927. Só houve aumento de consumo em pão de centeio, queijo e batata.
* O valor real dos salários, em 1938, era praticamente o mesmo de 1928.

6 Comentários:

Anonymous Anônimo Disse...

Parabéns e muito obrigada!

Gráçs a seu texto consegui fazer um trabalho de história maravilhoso!

Espero que continue assim postando maravilhosos textos conseguindo ótimas críticas e ajudando muitas pessoas!!

Uma amiga

1:27 PM  
Anonymous Anônimo Disse...

Guilherme, cara, eu já te mandei um e-mail para o seu hotmail a respeito dessa sua publicação. Estou impressionado com as informações e espero que você possa me ajudar de alguma forma. Estou precisando das fontes que "afirmam" tudo isso o mais urgente possível, por causa da monografia que terei que fazer em meu curso.

Você foi inteligentíssimo em editar esta parte. Está de parabéns. Mas, por favor, ajude-me.

Abraço! ^^

7:21 AM  
Blogger Kak Disse...

Por mais q a história é bem interessante não conseguiu responder minha questão q se trata de COMO FOI A ATUAÇÃO DE HITLER NO GOVERNO DA ALEMANHÃ.
mas aprendi bastante coisa...
rsrsrsrs
:/

5:20 PM  
Anonymous Anônimo Disse...

o resumo da bom. so q ñ me ajudou o bastante acho q precisa mais sobre ele!!!!

3:02 PM  
Anonymous Anônimo Disse...

Guilherme, aonde estão as fontes de seu estudo? Aonde você pesquisou esse material? Estou curioso, quero saber. Olhe, conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o trabalho científico só tem validade se forem citadas as fontes que lhe deram origem.

5:58 AM  
Blogger --The Duprat-- Disse...

Obrigado, meu ajudou bastante.

5:26 PM  

Postar um comentário

<< Home