quarta-feira, abril 25, 2007

Grêmio, Imortal Tricolor

Qualquer que seja a explicação para o que aconteceu na partida de hoje, dia 20 de abril de 2007, ela deve obrigatoriamente começar com a palavra Grêmio. E com o Grêmio deve terminar, pois acontecimentos como esse pertencem tão somente ao universo tricolor de feitos e glórias.

A façanha por si só dispensa quaisquer palavras, porque elas são insuficienes nestes momentos. Elas alcançam apenas os momentos fugazes da conquista, as meras efemeridades do jogo. À sua essência, sua razão de ser, resta-nos apenas instigar nossas mentes a mentalizar o impossível que hoje ocorreu.


Jogador algum sentiu cansaço. Jogador algum sentiu fadiga. No peito da
cada um bateu, por noventa minutos, o coração de 30 mil torcedores. E
no peito de cada torcedor, por noventa minutos, bateu o coração de 11
determinados jogadores.

Já provamos outrora a nosso valor e garra. Quando ousa a força
esmorecer, o firme pulso que move essa máquina tricolor trata de dar
seu grito mais alto.

E esse grito se ouviu hoje, dia 20 de abril de 2007.

O brado forte gremista há de retumbar por todo o Rio Grande do Sul.
Nos seus ecos estarão a clara mensagem que no Olimpico 30 mil corações
pulsam em 11 e 11 pulsam em 30 mil. Os feitos e glórias com o
Grêmio começam, e com o Grêmio terminam.

1 Comentários:

Anonymous Gustavo Disse...

Belo texto Guilherme.
Mostras sempre que escreves muito bem.

Obrigado.

10:27 AM  

Postar um comentário

<< Home